Origem da Fundação TOVPIL

 

A origem da Fundação TOVPIL remonta-se ao ano de 1993 quando Frei Ignácio junto com a Guia Glória Dominguez estudavam a possibilidade de ter uma fundação de TOV na casa que ela queria doar a ele em Santiago, doação que não lhe foi possível concretizar por diversas razões. Esta ideia inicial foi se desenvolvendo com o passar dos anos e assim foi que Frei Ignácio no ano de 2004 tornou pública sua intenção de que sua casa servisse no futuro como um centro vivo de irradiação da espiritualidade de TOV, como consta em suas Cartas Circulares e outros documentos. Assim é que no ano de 2007, solicita formalmente constituir uma equipe de trabalho para a Casa Fundacional com o fim de avançar neste objetivo.

Junto com Frei Camilo Luquin, marca Frei Ignácio uma primeira reunião em sua casa, no dia 25 de fevereiro deste ano, com Jorge Gutiérrez, Sara Sepúlveda, Coordenadores Nacionais do Chile e Verônica Gutiérrez, secretária dos freis, para estudar os aspectos que seriam necessários para que a Casa Fundacional tivesse um programa de trabalho e de atividades que se realizariam nela, como também quem a governaria e cuidaria e quem tomaria as decisões sobre seu andamento e funcionamento quando ele já não estivesse mais. Depois desta e de outras reuniões, concordaram em criar uma Fundação que tomasse essa responsabilidade, sempre sob a tutela da Coordenação Internacional vigente quando fosse o momento de concretizá-la.

Com isso vieram os objetivos do projeto, assim como o aspecto jurídico legal necessário para criar uma Fundação. Quando Frei Ignácio compreendeu que uma Fundação implicava dar vários passos legais, além de ter que redigir um estatuto, preferiu deixar para mais adiante, mas de concreto, concordou em ir reservando dinheiro para este fim com a Coordenação Internacional daquele tempo.

Nos anos que se seguiram ele volta a expressar em outras oportunidades seu desejo de que, quando ele estivesse na Casa do Pai, pudesse surgir boas ideias para que a casa seja realmente um centro vital de TOV e não se transforme em um museu; foi insistente nisso.

Somando a este claro desejo de Frei Ignácio sobre o futuro de sua casa, no ano de 2013, um mês antes do seu falecimento, a Coordenação Internacional se reuniu com o Conselho Pontifício para os Leigos, recebendo do presidente do Conselho, Monsenhor Stanislaw Rylko, e o Secretário Monsenhor Miguel Delgado, sugestões coincidentes e em linha com os desejos de Frei Ignácio, quer dizer, de difundir e dar a conhecer a sua obra.

Por esta razão a Coordenação Internacional (C.I.) após informar a Assembleia Internacional 2014, criou a Fundação TOVPIL no ano de 2015, como um instrumento para a preservação, estudo e difusão das diversas manifestações da obra e patrimônio espiritual de Frei Ignacio Larrañaga no Chile e no exterior.

Sem dúvida, é e será um privilégio, e um dever filial para os Guias de TOV atuais e futuro poderem dar cumprimento ao veemente desejo expressado pelo seu Fundador, Frei Ignácio, de que sua mensagem siga irradiando ao mundo, e brilhe a luz do fogo que ele deixou aceso.

IMG-20191025-WA0001.jpg