top of page

Novedades Fundación TOVPIL

Os Ideais


“Os ideais são como as estrelas:

nunca as alcançaremos.

Porém, assim como os marinheiros,

em alto mar,

traçaremos nosso caminho

seguindo-as” (Jean Paul Sartre)


Na verdade, estamos diante de um ideal. E o ideal é como uma luz colocada numa alta montanha. Ante essa luz vinda das alturas, pode-se tomar duas atitudes:


a) Negativa: ao ver que a luz está tão alta e que eu, cristão, com meu vôo tão rasante ao chão, posso começar a me encher de tristeza e a castigar-me com sentimentos de vergonha e remorso, dando rédeas aos complexos de culpa.


Dessa maneira, o ideal, em vez de ser força de elevação, pode chegar a ser máquina de destruição e causa de estragos.

Cuidado, irmão! Devemos viver atentos para não rolar por esse precipício. É necessário renunciar aos complexos de onipotência e aceitar em paz o pouco que podamos. Aceite logo de início as limitações da condição humana e esforce-se por conseguir, nesse pouco que você puder, o máximo rendimento. Você terá paz. Será forte.


b) Positiva: o ideal será luz de seu caminho, ou seja, a consciência crítica: à sua luz, você poderá ver a cada instante se está agindo segundo o espírito do Senhor ou segundo seus instintos, e comprovará se caminha por rumos certos ou enganosos.


Depois de cada queda gritará: “Levante-se! Comece outra vez; o amanhã será melhor! Caminhe!


Do libro “Transfiguração” do Frey Inácio Larrañaga

コメント


コメント機能がオフになっています。
bottom of page