top of page

Novedades Fundación TOVPIL

Salvar-se


Quando dizemos “salvar-se” não estamos nos referindo à salvação cristã, aquela que Cristo conseguiu para nós e que se consumara na vida eterna, Entendemos salvação em seu sentido popular: salvar-se do medo, da angústia, do tédio, do sofrimento...


É preciso conscientizar-se de que todo ser humano é portador de imensas capacidades que normalmente estão adormecidas. Mas, uma vez despertadas e colocadas em ação, uma persona pode muito mais do que imagina. É preciso que cada um de nós comece por acreditar em si mesmo e em sua capacidade de “salvação”.


Meus amigos, vivemos uma única vez; o banquete da vida não se repete, nem podemos voltar à infância para recomeçar a aventura. Como já disse, a maior infelicidade que nos pode acontecer é percebermos que a existência escorre-nos das mãos sem termos saboreado o melhor da vida. Vale a pena envidar os maiores esforços à tarefa das tarefas, que é afastar de nossas fronteiras os inimigos da vida; o sofrimento e a tristeza.


Você tem de começar, portanto, por si mesmo, o importante é você, seja feliz e seus irmãos se encherão de alegria. É essa a proposta que lhe fazemos, que vá secando, uma a uma, as fontes de sofrimento e, nessa medida, subirá o termômetro de sua alegria vital e voltará a viver; e viver, simplesmente, já é sentir-se feliz. E, então, a força expansiva dessa alegria vital o lançara aos seus semelhantes com brilhos de primavera e compromissos concretos.


Extraído do livro “A arte de ser Feliz” do Frei Inácio Larrañaga

Comentarios


Los comentarios se han desactivado.
bottom of page