Novedades Fundación TOVPIL

A entrada triunfal em Jerusalém


Antes que naufragasse no colapso final, o Pai, seu Pai, fez o Filho provar uma antecipação fugaz de seu futuro Reino, universal e eterno. Os distintivos de sua realeza messiânica não serão batalhões de cavalos ajaezados, nem diademas de ouro, mas um asno e uns galhos de oliveira.


A realeza messiânica de Jesus, tão obstinadamente encoberta por ele durante tanto tempo, revelada a seus amigos com muitas precauções e não poucas retificações, devia ser manifestada, pelo menos uma vez, solene e publicamente, diante da nação inteira.

Essa manifestação foi tão humilde quanto calorosa. Os habitantes de Jerusalém deram-lhe uma recepção ressonante, até cordial, sobretudo os que estavam informados e comovidos com o que tinha acontecido com Lázaro. Também os discípulos devem ter-se sentido felizes, mesmo que seu entusiasmo não fosse muito profundo. Deve ter sido uma espécie de contágio coletivo devido à exaltação do povo. Em suma, o dia deve ter sido um dia bonito e gratificante para Jesus.



Do livro O pobre de Nazaré do Frei Inácio Larrañaga